Central Integrada de Atendimento: 27 3062.2282
banner

Saiba tudo sobre a lombalgia

A lombalgia manifesta-se como dor na região entre as costelas e a bacia. Ela representa um sintoma e não um diagnóstico. Desta forma deve ser respaldado por avaliação criteriosa de suas diferentes causas. Mais de 70% da população apresentará lombalgia em algum período da vida, sendo o sintoma mais comum em atendimento ortopédico. Seu pico de incidência varia entre 35 a 55 anos.

Causas

Diversas patologias podem acometer a coluna vertebral.  Entretanto cerca de 85% dos casos estão relacionados as causas mecânicas. Entretanto patologias graves devem ser excluídas para esclarecimento diagnóstico e condução de cada caso individualmente.

Diagnóstico

Em diversas situações ampla avaliação clínica é suficiente para esclarecimento do quadro e introdução do tratamento. Desta forma em poucos casos são necessários realização de exames de imagem para conclusão diagnóstica.

Os exames de imagem ficam restritos aos casos em que se observa “bandeiras vermelhas” que nos faça sugerir existência de sinais de alarme para patologias específicas como tumores, infecções, fratura e compressão neurológica.

Tratamento

Quando existe uma patologia específica como causa da lombalgia o tratamento deve ser direcionado para a causa. Na maioria dos casos a etiologia da lombalgia é por causa mecânica não sendo possível realização de exames que possam identificar a causa. Desta forma, o acompanhamento após realização da analgesia é fundamental para melhora precoce do quadro, além das medidas abaixo:

  • Tranquilizar o paciente visto que a patologia é auto-limitada. A dor está relacionada aos músculos, ligamentos, articulações e disco interverterbral;
  • Retorno as atividades precocemente: aconselhado realização de atividades normais, dentro do possível. O retorno ou permanecer no trabalho é importante, sempre que possível. Estudos apontam que quanto mais afastado do trabalho piores as chances de melhora dos sintomas;
  • Manutenção das medicações analgésicas adequadas;
  • Programas multidisciplinares: avaliação da postura no trabalho (ergonomia), educação postural;
  • Exercícios de estabilização segmentar: realiza resistência, equilíbrio e controle muscular. Leva a diminuição da dor e incapacidade, através de melhora do controle muscular durante os movimentos.

Compartilhe nas redes:

  • Logo Facebook
  • Logo Twitter