Central Integrada de Atendimento: 27 3062.2282
banner

Outubro Rosa: PREVINA-SE!

Outubro Rosa: fique ligada!

Dor lombar ou na bacia de forma recorrente, cansaço e diminuição de estatura podem ser manifestações clínicas do câncer de mama com acometimento ósseo!

Outubro Rosa é uma campanha de conscientização mundial que tem como objetivo principal alertar as mulheres e a sociedade sobre a importância do diagnóstico precoce e da prevenção do câncer de mama. Este movimento começou nos Estados Unidos, onde vários estados tinham ações isoladas referentes à doença no mês de outubro e, com a aprovação do Congresso Americano, se tornou o mês nacional (americano) de prevenção do câncer de mama. No Brasil, o movimento vem sendo adotado desde 2002. A ideia é chamar atenção, diretamente, para a realidade atual da doença e a importância do diagnóstico precoce e da sua prevenção.

Então, qual seria a relação do câncer de mama com os ossos? Com a evolução do câncer as células tumorais atingem o sistema vascular, podendo “contaminar” outros órgãos em diferentes partes do corpo, incluindo os ossos. Isso pode ocorrer via sistema linfático ou sanguíneo. O nome dado à essa invasão de células tumorais à distância chama-se metástase.

Dentre os locais de acometimento metastático pelo câncer de mama, os ossos são os locais mais frequentes, sendo os da coluna vertebral, costelas e bacia os mais afetados.
Os sintomas do acometimento ósseo podem variar desde os quadros de dor insuportável até casos onde o mesmo passa de forma imperceptível. Em geral, os sintomas associados mais frequentes são: fragilidade óssea e fraturas espontâneas, alterações neurológicas (fraqueza motora, alteração de sensibilidade, descontrole urinário ou fecal), aumento do cálcio sanguíneo (que pode gerar náuseas, vômitos, constipação ou sonolência), cansaço ou falta de ar por anemia e, também, dor óssea ou dor ciática (no caso do acometimento da coluna lombar).
Nos casos iniciais é comum que os pacientes se sintam bem e com sintomas controláveis por medicamentos de uso habitual. Contudo, na maioria dos casos onde é dado o diagnóstico de câncer de mama com acometimento ósseo, a cura se torna inviável pelo grau de evolução da doença, restando apenas o tratamento paliativo como alternativa. Daí a importância de se realizar uma investigação médica apropriada através de exames complementares como a cintilografia óssea, a ressonância nuclear magnética e os exames laboratoriais. Diante dessa situação tão alarmante, a prevenção do câncer de mama continua sendo a melhor forma de tratamento.

Faça parte do Outubro Rosa e previna-se!

Compartilhe nas redes:

  • Logo Facebook
  • Logo Twitter